Ser Instrutor / Formador Home // Ser Instrutor / Formador

Ser Instrutor / Formador

Ser Instrutor / Formador

Infelizmente, assistimos a um crescimento galopante do número de profissionais de dança, bem formados, que abandonam o nosso país… Pois, a vida não é um filme, e é extremamente necessário que este papel seja visto com grande importância aos olhos do mundo. Quando um professor assume o seu papel, para além da sua imagem e marketing pessoal, tem de ter principalmente a responsabilidade sobre os seus alunos e o trabalho a ser praticado. Professores carismáticos enchem facilmente uma turma/aula de iniciados. “Ganhar” a confiança dos alunos não é difícil quando se tem o dom natural de conviver ou comunicar, mas, o mais importante é garantir os alunos que pretendem seriamente evoluir na área da dança.

Um professor/instrutor/formador de dança tem de estar consciente de que está a mudar a vida das pessoas que se apresentam na sua aula. A aula de dança não é apenas um momento para “mexer um pouco ao som da música”. É muito mais do que isso. Aquilo que nós, professores de dança, passamos aos nossos alunos, vai influenciar a sua forma de ser e estar, aquilo que os fazemos treinar vai determinar o seu desenvolvimento físico, vai formar (ou deformar) o seu corpo, vai desenvolver (ou limitar) a sua capacidade de movimento, vai potenciar (ou inibir) a sua criatividade.

 

Formação

.
Em Portugal, os cursos superiores de dança existentes abrangem um limitado número de estilos de dança.
Os professores de dança devem procurar formação na área que pretendem, conhecer as opções existentes, e procurar ter a formação mais completa possível, seja através de cursos profissionais ou de especialização, que devem ser sempre complementados com a frequência de workshops e de cursos intensivos.

Cada modalidade tem o seu “curso priveligiado”, existe sempre aquele formador que dá total credibilidade à formação. É esse o curso que deves tirar. É esse o curso que vai dar sustentabilidade ao teu percurso profissional. Atenção que cada caso é um caso, e na dança, todas as modalidades têm exigências diferentes. Não se pode esperar que um professor de danças urbanas, tenha o mesmo percurso académico de um professor de ballet clássico. O que se pode esperar, e exigir, é que ambos tenham formação de qualidade e devidamente reconhecida na sua área.
Também a frequência de workshops e cursos intensivos tem uma enorme importância na formação de competências de cada um, pois a formação contínua é um dever de todos os profissionais e é também o que distingue um bom de um mau profissional.

São muitas as instituições que promovem workshops e cursos intensivos com profissionais internacionais de dança. Mesmo assim, muitas vezes é necessário ir lá fora procurar mais formação, especialmente em modalidades ainda pouco desenvolvidas em Portugal, de forma a complementar aquilo somos enquanto profissionais.

A dança não é uma saída profissional, é muito mais do que isso! É uma paixão, uma forma de ser, um modo de vida. Ser professor de dança requer uma formação longa e contínua. Um bom professor pode não ser o melhor bailarino, nem o que tem mais alunos, mas é aquele que ensina, que exige, que corrige e transmite os correctos valores!

.

“Se achas que és Feliz, então experimenta Dançar.”

.

.

.

.


Leave a comment

Your email address will not be published.


Post Comment